Por que uns fracassam e outros vencem na vida ?‏


Por que existem pessoas que tem tudo para dar certo na vida e fracassam ? E já outros tem tudo para dar errado e conseguem dar a volta por cima ?

Venho com essa problemática na cabeça ja faz algum tempo, e tento refletir sobre isso através de 3 conceitos, a primeira é a pulsão de morte, a outra é a pulsão de vida e por fim a tal da resiliência.

"Principais Características dos conceitos criados por Freud: Pulsão de morte e Pulsão de vida."

A pulsão de morte propriamente dita, visa à redução completa das tensões, a um (re)conduzir o ser vivo para um estado inorgânico, que seria a forma mais primitiva do ser: o estado inanimado. Neste ponto, Freud aceita o termo proposto pela psicanalista inglesa Bárbara Low, denominado “Princípio de Nirvana” que designa a tendência do aparelho psíquico a levar a zero a quantidade de excitação nele presente. “Nirvana” é um conceito difundido por Schopenhauer no Ocidente e significa “a extinção do desejo humano... um estado de quietude e de felicidade perfeita” (Laplanche e Pontalis, 1999, p.363-364).A pulsão de morte pode aparecer voltada para o interior sob a forma de autodestruição ou dirigida para o exterior, manifestando-se sob a forma de agressão ou destruição.

A pulsão sexual e as de autoconservação são, então, assimiladas às pulsões de vida. Por pulsão de vida, Freud entende uma força que tende à ligação, à constituição e conservação das unidades vitais. A pulsão de vida (Eros) está ligada à aceitação da existência do objeto e está vinculada à sublimação.Dessa forma, pode-se afirmar a existência nítida de duas forças motrizes do ser humano: A Pulsão de Vida, exercendo pressão no sentido de prolongamento de vida, e a Pulsão de Morte, consistindo em um empuxo no sentido da morte.

Não há, na vida psíquica, a presença de uma única atividade pulsional, de uma única tendência. Apesar de ambas coexistirem, sempre há uma relação entre uma e outra em proporções desiguais.Da oposição e dualidade entre Pulsão de Vida e Pulsão de Morte, nasce a dinâmica responsável pela vida do sujeito, que constitui o ponto primordial das vias do desejo, e dos desejos de vida e de morte.As duas pulsões nunca aparecem isoladamente: em todas as manifestações humanas podemos observar a participação de ambas as pulsões em diferentes graus.

Agora vamos falar um pouco da Resiliência e tentar encontrar o seu papel nessa problemática.

Resiliência surgiu na física e significa a capacidade humana de superar tudo, tirando proveito dos sofrimentos, inerentes às dificuldades e retornar ao estado natural de excelência, superando uma situação crítica.

O ser humano resiliente desenvolve a capacidade de recuperar–se e moldar–se novamente a cada obstáculo e a cada desafio. Quando mais resiliente for o indivíduo maior será o desenvolvimento pessoal, isso torna uma pessoa mais motivada e com capacidade de contornar situações que apresente maior grau de tensão.

A resiliência consiste no equilíbrio entre a tensão e a habilidade de lutar, de atingir outro nível de consciência, que nos traz uma mudança de comportamento e a capacidade de lidar com os obstáculos da vida.

Tá, podemos pensar a partir daí que a Resiliência tem o papel de ajudar o indivíduo a passar por obstáculos, superando as barreiras e perseverando na vida, mesmo com tudo propiciando o contrário.

Então porque pessoas que tem tudo para dar certo na vida fracassam ? Lhes faltam resiliência ? ou será essa ausência de resiliência junto com a Pulsão de Morte ?

E as pessoas que tem tudo para ser um fracasso na vida devido as circunstâncias do ambiente, ausência de amor e etc. Como conseguem ir a diante ?

Será que é a força do desejo de viver (Pulsão de vida) junto a Resiliência ?

Como pessoas que vivem em situações precárias conseguem desenvolver uma melhor Pulsão de Vida e Resiliência ao comparar com aquelas que tem tudo de mão beijada ?

"Tenho tudo, nada me falta, não preciso lutar para conquistar, então para que viver?"

"Vou me dedicar, arrumar um bom trabalho, tudo me falta, mais um dia vou poder dar tudo do bom e do melhor para a minha Família!"

Será que está aí a resposta que procuro ?


Referências:

> Freud, S. Além do Princípio de Prazer. Em Edição Standard das Obras Completas deSigmund Freud Rio de Janeiro: Imago, 1920/197, vol. XVIII, pp. 13-85.

> Zimerman, D. Fundamentos Psicanalíticos: Teoria, técnica e clínica. Porto Alegre: Artmed,1999.

1 Comentário:

Dan disse:

Acho que conquistar tudo de mão beijada não tem graça, mas é maravilhoso lutar, suar e ver que você conquistou, e em relação a felicidade, cara, só Deus pode dar a verdadeira felicidade, parabéns pelo post amigão e abrigado pelos comentários no meu blog !

COMENTE, SIGA, ASSINE O FEED, SEJA INTERESSADO!