O Poder da Música

Diminuir o estresse, aumentar a energia ou relaxar. Basta saber usar o que toca nas rádios e nos CDs para montar a melhor trilha sonora da sua vida.

Freqüentemente, a música é associada a eventos significativos da vida, e ultrapassa todas as línguas e barreiras culturais. Ela é muito mais do que diversão. Ritmo, harmonia e melodia são capazes de gerar sensações de calma, ansiedade, paz, medo; de alterar o comportamento das pessoas; e até de ajudar a tratar de problemas de saúde. Uma das primeiras referências escritas sobre o poder da música aparece na Bíblia (I Samuel, capítulo XVI, versículo 23). Consta que Davi tocava sua harpa para aliviar a depressão e os ataques de fúria do rei Saul. Há séculos políticos, governantes e igreja usam a música em prol das suas idéias. A fim de ajudar a fixar fórmulas e teorias professores também fazem uso da música em suas aulas. Ninguém questiona o poder que ela exerce sobre o humor de cada um. Capaz de acalmar ou agitar, ela está sendo usada também cientificamente para curar. Pesquisas realizadas com modernos equipamentos de tomografia e ressonância magnética comprovaram que a música consegue alterar a atividade cerebral e influenciar o fluxo de neurotransmissores como a serotonina, que controla o humor e a sensação de prazer, e a endorfina e a encefalina, responsáveis pelo estado de bem-estar e de total relaxamento, respectivamente. Além disso, a música também consegue mudar a freqüência cardíaca e a respiratória. E mesmo sem saber dos seus benefícios ou talvez sem dar conta de seu poder, quase todo mundo usa, instintivamente, a música a seu favor. Escolhe as românticas para embalar o namoro, as mais agitadas para dar aquela energia antes da noitada e, na hora de dormir, liga o rádio baixinho e com melodias tranqüilas. Em geral a receita é mesmo essa: músicas menos dissonantes, como a erudita, trazem sensação de calma e tranqüilidade; já as ritmadas, como rock, causam euforia. Mas nem sempre isso dá certo. Para um adolescente, por exemplo, ouvir Bach (compositor usado na musicoterapia para relaxar) pode ser uma tortura. Os jovens normalmente se sentem melhor com músicas mais agitadas. A história e o gosto musical influenciam na sensação individual. Por isso, não desperdice esta dica. Escolha músicas que tragam boas sensações e lembranças agradáveis. Crie uma trilha sonora para usar em momentos de tensão ou para relaxar no final do dia. Você pode gravar apenas um trecho de cada música e ouvir essa fita pelo menos uma vez por semana. É como recarregar as baterias para o dia seguinte.

2 Comentários:

Destino-Emagrecer disse:

Olá, obrigado pela visita ao meu blog, e por gostar. Volte sempre! O seu também está muito bom, parabéns!

Ivan Ferreira disse:

Valeu amigo pelo comentário, e pode deixar voltarei mais vezes no seu blog.

Um grande Abraço !

COMENTE, SIGA, ASSINE O FEED, SEJA INTERESSADO!